Para que serve uma tomografia?

Se quer saber para que serve uma tomografia, saiba que está no lugar certo. Pois, aqui vamos mostrar tudo o que você precisa saber sobre esse exame.

Pensando em lhe ajudar a entender melhor o que ele é, para que serve e como é feito, foi que montamos esse conteúdo. Assim será possível entender melhor a funcionalidade do exame caso precise fazê-lo.

É importante destacar que esse é um exame de imagem que não é invasivo. Utiliza-se ele como uma espécie de exame de apoio para os médicos.

O intuito é fazer a análise de partes diferentes do corpo. Por exemplo, será feita uma avaliação de partes como, ossos, cérebro, rins, fígado entre outras.

Ficou interessado? Então continue lendo este artigo para descobrir mais sobre o exame e seu funcionamento.

O que é tomografia computadorizada?

Bem, antes de saber como a tomografia funciona é importante saber do que se trata. É um exame de imagem, ou seja, um procedimento que não é invasivo.

Ele irá combinar o uso de raio x com um computador que passou por uma adaptação para esse fim. Geralmente seu uso é para a criação de imagens com muitos detalhes, as quais são de diversos tecidos do corpo.

O processo é feito por meio da emissão de raios-x em rotação por todo o corpo. Isso pode variar de acordo com cada tipo de tecido, que irá influenciar na forma que os feixes de raios x poderão se infiltrar por esses detectores de radiação.

Uma vez que são eles que fazem o envio de dados para um sistema digital. Assim, depois as imagens poderão passar por alguma reformulação em diversos planos, para que se tornem imagens digitais.

Dessa forma, elas poderão ser visualizadas através de um monitor próprio para esse fim. Além disso, elas também poderão ser impressas ou poderá ser feita uma transferência para os PACS.

Mas, o envio pode ser feito diretamente para algum serviço de tele radiologia. Isso irá depender do caso que está em análise

História da tomografia

Esse exame foi uma invenção do engenheiro britânico Sir Godfrey Newbold Hounsfield em 1972. Recebeu o nome de Escala Hounsfield que serve para distinguir os tons de cinza quando é feita a avaliação de cada uma das estruturas.

A primeira vez que um aparelho tomógrafo teve seu uso foi em Atkinson Morley Hospital, que ficava em Londres. O local onde Hounsfield fazia seus estudos.

Além disso, é importante pontuar que o primeiro aparelho de tomografia computadorizada só era capaz de avaliar os tumores do cérebro ou o metabolismo cerebral. No Brasil o primeiro equipamento pra realização do exame chegou em 1977.

A instalação dele foi no Hospital Beneficência Portuguesa, em São Paulo. Assim, a primeira avaliação que ele realizou foi em uma mulher de 41 anos que tinha um tumor no lobo frontal esquerdo.

Foi em 1979 que Godfrey Hounsfield ganhou um prêmio Nobel em Fisiologia e Medicina. Esse feito foi ao lado de seu cocriador, o sul-africano Allan Cormack.

No entanto, desde sua criação e seu primeiro uso, o procedimento passou por diversas mudanças. Elas aconteceram por conta do avanço da tecnologia e descobertas da medicina.

Um dos maiores avanços foi a introdução desse sistema computacional que permitiu que as imagens ficassem com uma qualidade muito melhor.

Como funciona a tomografia?

Bem, a execução do exame é algo bem simples. Uma vez que a mesa onde os exames são feitos desliza para parte de dentro do Gandry (esse é o corpo do aparelho).

Após isso, o tubo de raio x fará a emissão de um feixe de radiação (em formato de leque), que é bem suave e atinge o corpo do paciente.

Dessa forma, esse feixe de radiação irá interagir com o grupo de detectores que são responsáveis por fazer a transformação dessa radiação eletromagnética em sinal elétrico.

É importante pontuar que para que essa imagem tenha uma interpretação como sendo uma imagem anatômica. Ou seja, sem alguma sobreposição de estruturas, é preciso que várias projeções sejam feitas.

Por fim, os resultados de todas essas transformações elétricas é um armazenamento na Raw Data. Mas, o que é isso? Bem, trata-se de uma espécie de arquivo dos dados brutos dessa aquisição.

Então, após todo esse processo é que o computador irá fazer uso dos dados que conseguiu desse sinal elétrico para fazer a construção de uma imagem digital. Isso tudo será feito por meio de diversos processos matemáticos.

A representação dessa imagem será em uma matriz composta por pixels. Cada um deles será entregue um valor de tonalidade que se baseia na Escala Hounsfield.

No entanto, isso depende do quanto de radiação o paciente absorveu. Mas, é importante pontuar que nesta escala, a rádio intensidade de uma água destilada tem uma definição de 0 HU, porém pode variar entre -1000 HU, para o ar e para o osso é 1000 HU.

Logo, é possível considerar que esse exame é um processo que tem como base em uma escala de densidade. Uma vez que cada uma das estruturas do corpo tem uma densidade própria.

Um exemplo é o ar, gordura, osso e outras partes. Dessa forma, o exame é o principal para um diagnóstico por imagem, isso ao lado da ressonância.

Conclusão

Por fim, mostramos algumas informações sobre a tomografia. Deixamos a sua disposição o que é esse exame, como ele funciona e uma pouco da sua história.

Por exemplo, como, onde e quem o criou, dados que podem ser de grande interesse. Isso se você tiver curiosidade em saber mais sobre o exame.

Além disso, durante o conteúdo será possível ver como que esse exame funciona. Ele é muito bom para ajudar no diagnóstico por meio de imagens, principalmente quando combinado com uma ressonância magnética.

Ao longo dos anos e com tantos avanços, o exame passou por diversas mudanças. Acredita-se que com o passar do tempo mais descobertas podem acontecer. Gostou desse conteúdo? Esperamos ter ajudado na sua busca, caso tenha alguma dúvida é só deixar um comentário, vamos ficar felizes em poder lhe ajudar assim que for possível.