Como se descobre um câncer de próstata?

Conforme aponta o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens no Brasil. Sabe-se que, assim como com qualquer outra doença, as pessoas com câncer podem ter resultados mais satisfatórios se forem diagnosticadas precocemente.

Com isso, é crucial que a pessoa entenda a importância de um diagnóstico precoce no tratamento! Continue lendo este artigo se estiver preocupado com sua saúde e quiser melhorar sua qualidade de vida, para saber quais são os principais exames para detectar a doença!

O que é o câncer de próstata?

A glândula responsável pela produção de nutrientes e fluidos que compõem o esperma está logo abaixo da bexiga e na frente do reto. Dentro dela, é onde a uretra passa.

Apesar de sua aparência intimidadora, o câncer de próstata é uma das doenças com melhores chances de cura, principalmente quando diagnosticada precocemente. Não existe um local específico na próstata onde o tumor possa se esconder.

À medida que cresce, ele passa a ocupar mais espaço, invadindo os tecidos circundantes e as vesículas seminais. Além de afetar o local, as células cancerígenas podem atacar os linfonodos, entrar na corrente sanguínea e se espalhar para outros órgãos.

Como a doença não apresenta sintomas em seus estágios iniciais, é fundamental agendar consultas médicas regulares e exames preventivos. Ao passo que, quando um problema se torna mais sério, o homem pode apresentar os seguintes sintomas:

  • Ardência ao urinar;
  • Jato urinário fraco e recorrente;
  • Hiperplasia de próstata (que é o aumento da próstata)
  • E, em raros casos, dor e sangue na urina e no esperma.

Quando um homem suspeita de ter essa doença, seja em casa ou em uma clínica, ele é encaminhado a um especialista que o orientará a fazer uma série de exames para confirmar ou descartar as chances de um câncer de próstata.

Exames para detectar o câncer de próstata: quais são e quem deve fazer?

Antes de mais nada, é preciso afirmar que o exame de próstata não deve ser visto como um tabu! Uma imagem deturpada do autocuidado pode fazer com que a pessoa evite ir ao médico e, como consequência, caso exista uma condição, pode piorar com o tempo, comprometendo o tratamento.

Urologistas ou proctologistas podem realizar exames para detectar câncer de próstata. O urologista é especializado no trato urinário masculino e feminino, bem como no sistema reprodutor masculino.

Já o proctologista é o responsável pelo tratamento das doenças do intestino grosso, reto e ânus. O câncer de próstata é uma das doenças que podem ser detectadas durante os exames preventivos. Confira logo abaixo quais são eles!

Quais exames detectam o câncer de próstata?

Para a detecção do câncer de próstata, há dois tipos de exames: dosagem de PSA e toque retal. Recomenda-se que ambos sejam feitos, tendo em vista que sua combinação possibilita o diagnóstico precoce em até 80% dos casos.

Dosagem de PSA

PSA é o exame feito como check-up para diagnóstico do câncer de próstata, antes mesmo que eles apresentem os sintomas. Também é feito em homens que possuem os sintomas que podem ser resultado da doença.

Os valores de PSA total até 4,0 ng/mL são considerados normais.

Homens com níveis superiores que 10 ng/mL possuem uma maior chance de ter a doença, sendo candidatos à biópsia retal diagnóstica.

Já os valores de PSA total entre 4 ng/mL e 10 ng/mL são mais difíceis de avaliar, pois também pode indicar outros tipos de doenças benignas. Nesses casos, o ideal é a dosagem do PSA total e livre ou outros exames complementares de acordo com a orientação do médico.

E, vale destacar que, se houve relação sexual um dia antes da avaliação, os valores do PSA aumentam cerca de 10%. Por essa razão, para realizar o exame, é preciso ficar em abstinência sexual por volta de 2 a 3 dias.

Toque retal

Este é um procedimento capaz de detectar mudanças na próstata, por exemplo, nódulos, endurecimento ou outras irregularidades. Embora possa causar desconforto, o exame é feito em poucos minutos.

Para tanto, o médico insere o seu dedo indicador (com uma luva lubrificada) no ânus do paciente. Esse exame é crucial tanto na avaliação da prostatite quanto para escolher qual a melhor opção.

Isso ocorre pois, por volta de 20% dos casos dessa doença, são diagnosticados em homens com níveis normais de PSA.

Exames complementares

Caso as suspeitas da doença persistirem apesar das mudanças no formato da próstata e nos níveis de PSA, o profissional poderá solicitar uma biópsia da próstata.

Neste processo, uma amostra de tecido prostático é obtida com o objetivo de identificar células cancerígenas. Ao confirmar as suspeitas, é possível realizar vários exames de imagem ​​para determinar a extensão do câncer na próstata.

Para classificar qual é a sua extensão, costuma-se usar o método Pi-Rads! Dependendo da situação, o profissional poderá pedir outros exames, tais como:

Quando fazer os exames?

Hoje em dia, esses exames são recomendados para homens a partir de 50 anos e com expectativa de vida maior que 10 anos. Como ainda não existe comprovações científicas de que a adoção precoce traga mais vantagens, o INCA não a recomenda para pessoas mais jovens.

Porém, existem algumas exceções. Os exames devem iniciar aos 40 anos em homens com algum parente de primeiro grau que tenha tido a doença.

Indica-se a investigação preliminar também em homens que apresentam sintomas sugestivos da doença, por exemplo:

  • Maior vontade de ir ao banheiro (seja de dia ou durante a noite);
  • Jato da urina mais fraco;
  • Sangue na urina;
  • Problemas para urinar.

Conclusão

Portanto, todos que se preocupam com a saúde e buscam qualidade de vida melhor, devem deixar de lado o preconceito e cuidar melhor de suas saúdes. A primeira etapa é visitar seu médico com frequência e seguir todas as orientações.

Realizar exames de câncer de próstata quando solicitado é essencial! Por fim, o que você achou deste conteúdo? Foi útil para você? Não esqueça de compartilhá-lo com seus amigos para conhecerem quais são os exames de próstata!