Social Commerce: um guia simples para iniciantes

Social Commerce
Social Commerce

O Social Commerce é uma das tendências mais populares e de mais rápido crescimento no mundo das vendas online. Embora os princípios sejam semelhantes, é diferente do comércio eletrônico tradicional.

Como veremos, há muitas razões para prestar atenção ao Social Commerce.

Neste guia simples para iniciantes, discutiremos o que é e o que não é o Social Commerce, veremos como ele começou e exploraremos suas vantagens. Também compartilharemos alguns princípios orientadores para ajudá-lo a começar.

Sumário

O que é Social Commerce?

Social Commerce é o uso de redes sociais e outras plataformas com interação social para transações de comércio eletrônico. Ao invés de um link para uma loja online onde a transação pode ocorrer, a compra é feita através da rede social ou plataforma.

Veja também >>> Método Mulher Milionária Funciona?

A atividade de venda ocorre fora do site do varejista, em redes sociais como Facebook, Instagram ou Pinterest. Todo o processo de venda, desde o cultivo da venda até o carrinho de compras, é feito na rede social. Isso é diferente do eCommerce, que acontece no site da empresa.

Alguns fazem uma forte distinção entre Social Commerce e Social Shopping com “Commerce” referindo-se a como os vendedores usam as redes sociais e “Shopping” referindo-se à atividade do shopper.

Concentrar-se nessas distinções pode ajudar as empresas a criar sistemas para melhorá-las. Independentemente de quão profundo você queira fazer essas distinções, elas estão relacionadas e funcionam juntas.

Uma Breve História do Social Commerce

O termo foi cunhado pelo Yahoo! em 2005 para descrever um conjunto de ferramentas de compras sociais, como conteúdo gerado pelo usuário, classificações de usuários, listas de escolha compartilhadas, etc.

O conceito foi desenvolvido por David Beisel e Steve Rubel.

David Beisel concentrou-se em conteúdo publicitário gerado pelo usuário em sites de comércio eletrônico.

Steve Rubel concentrou-se em ferramentas colaborativas de comércio eletrônico que permitiriam aos compradores obter conselhos de pessoas em quem confiam e comprar produtos e serviços. Juntos, isso aumenta a confiança e as vendas.

O Facebook abriu um mercado em 2007. Um botão Comprar foi adicionado em 2014. Pagamentos e páginas de compras foram adicionados em 2015. O Facebook para Empresas ajuda você a configurar uma loja nas plataformas Facebook e Instagram.

O Instagram adicionou um botão de loja em 2015, seguido por tags de produto em 2016. As integrações Shopify e BigCommerce foram adicionadas em 2017. As postagens compráveis ​​foram adicionadas em 2018.

Este exemplo mostra uma loja do Instagram que você pode criar usando o Facebook for Business . Você pode fazer uma loja semelhante para o Facebook.

O Pinterest adicionou pins compráveis ​​em 2015 e um carrinho de compras em 2016. O Pinterest Business ajuda você a configurar uma conta comercial para que você possa começar a vender pela plataforma do Pinterest.

16 Vantagens do Social Commerce

Há muitas vantagens em vender socialmente, aqui estão as maiores:

1. Engajamento

Ajuda as empresas a interagir com os clientes. Ele coloca as marcas onde os clientes estão e fornece a eles uma maneira fácil de interagir.

2. Confiança

A capacidade do cliente de interagir com a empresa ajuda a construir confiança com a empresa. Os clientes conhecem as pessoas da empresa, conversam com os representantes da empresa, tiram suas dúvidas e discutem feedback. É mais fácil para os clientes em potencial confiar em uma empresa quando podem ver comentários e recomendações de outras pessoas.

3. Compartilhamento

O Social Commerce torna mais fácil para os clientes compartilharem notícias sobre suas compras. Eles podem compartilhar informações com seus amigos ou público e fazer recomendações sobre produtos e serviços.

4. Comentários

Os clientes podem facilmente deixar comentários e classificações de produtos e da empresa. Isso ajuda a construir confiança nos produtos e autoridade na marca.

5. Comunidade

Os clientes podem interagir facilmente uns com os outros sobre a marca e os produtos. Isso pode construir um vínculo comunitário em torno da marca, o que é ótimo para a empresa e os clientes.

Os clientes podem se sentir aceitos, criar tendências, seguir tendências e seguir influenciadores, ou se tornar um influenciador pelo tipo de produto ou serviço.

6. Prova Social

A prova social cria confiança na empresa. Quando os clientes em potencial veem avaliações, feedback, classificações, comentários positivos e discussões sobre a marca, é mais provável que eles confiem em fazer uma compra.

7. Tendências

As tendências são mais fáceis de encontrar e seguir nas redes sociais.

8. Comercialização

As empresas podem usar técnicas de marketing para ajudar a impulsionar as vendas e a conscientização. As técnicas incluem:

  • Gráficos de mídia social
  • Vídeo para mostrar os produtos
  • Postagens informativas
  • Votação nas opções de produtos
  • Enquetes
  • Pedindo ao usuário para compartilhar fotos e comentários
  • Compartilhando as postagens do usuário
  • O apoio de celebridades
  • Promoções
  • Sorteios
  • Links diretos para um carrinho de compras

9. Publicidade direcionada

As empresas podem segmentar facilmente seu público em plataformas sociais com anúncios baseados em suas atividades e preferências. As plataformas sociais fornecem extensas ferramentas de publicidade que funcionam bem com o comércio.

10. Demanda

O Social Commerce facilita o entendimento da demanda por um produto. Os clientes em potencial são mais propensos a comprar se um produto estiver em alta demanda ou se for difícil de encontrar.

Eles não querem perder algo que seus amigos estão gostando. Se for escasso, há um valor mais alto atribuído ao produto na mente do comprador e ele parecerá mais único ou especial para eles.

11. É onde os clientes estão

Em vez de tentar atrair clientes em potencial de uma plataforma de mídia social para o seu site, o Social Commerce permite que você venda para eles onde eles já estão – na plataforma de mídia social.

Isso torna muito mais fácil encontrar seu público-alvo e torna mais fácil para eles encontrarem você. Isso também significa que muitos compradores em potencial descobrirão seus produtos que podem não ter outro caminho.

12. Não é apenas uma plataforma de vendas

A mídia social inclui vendas, mas é muito mais do que isso. Os compradores em potencial que podem não estar procurando produtos estão lá quando não estariam em um site de vendas.

Eles viram os anúncios, os compartilhamentos, as curtidas e os comentários. Eles foram aquecidos com a ideia do produto. Eles podem ser vendidos mesmo que não seja por isso que eles estão lá.

13. Os clientes podem comprar pela rede social

Você não está pedindo a um cliente em potencial que saia da segurança da plataforma social e vá ao seu site para fazer uma compra. Isso facilita a venda para eles e ajuda a criar confiança na venda.

14. Torna as compras online uma experiência social

As compras online típicas são uma experiência individual. Deixa a desejar quando comparado a ir às compras com seus amigos. O Social Commerce adiciona a experiência social à experiência de compra.

15. Popularidade

O Social Commerce é uma escolha popular para vender online. Em 2020, o mercado global de Social Commerce foi estimado em US$ 86,4 bilhões. A projeção é de US$ 604,5 bilhões até 2027.

Este é um número impressionante de vendas e potencial de crescimento.

O Facebook relatou alguns números impressionantes do Instagram, com 83% dos compradores descobrindo novos produtos ou serviços, 81% pesquisando produtos ou serviços e 80% decidindo se compram um produto ou serviço.

16. Conveniente

A conveniência do Social Commerce é um de seus maiores pontos fortes. O cliente pode pesquisar um produto e comprar sem precisar sair de sua plataforma favorita, e imediatamente voltar ao que estava fazendo naquela plataforma.

5 Princípios do Comércio Social

Muitos princípios do Social Commerce foram desenvolvidos ao longo dos anos que podem ajudá-lo a iniciar e expandir sua loja social.

1. Otimização

Use os dados da sua plataforma social para otimizar a experiência do comprador. Isso inclui cores, texto, imagens, etc. Certifique-se de que as imagens e o texto sejam carregados rapidamente.

Projete para dispositivos móveis e teste em vários dispositivos.

Imagens – Use imagens verticais. A maioria dos usuários está navegando em plataformas sociais em smartphones no modo retrato. O Pinterest recomenda uma proporção de 2:3 para evitar que a imagem fique truncada.

Use uma imagem que os clientes possam entender rapidamente.

Texto – Crie uma cópia curta com no máximo 100 caracteres para o título e 500 caracteres para a descrição.

Logo – Certifique-se de usar seu logo, mas não o coloque no canto inferior direito. Essa área pode ser coberta com ícones de produtos.

Sobreposição – Adicione uma sobreposição para destacar o produto.

Vídeo – Lidere com um gancho claro. Mantenha vídeos entre 6 e 15 segundos. Use sobreposições de texto ou legendas para aqueles que assistem com o som desligado.

Localização – Traduza o texto para cada idioma que você está segmentando e publique cada um como um anúncio diferente.

2. Crie conteúdo compartilhável

Crie o tipo de conteúdo que seus seguidores desejam compartilhar com seus amigos.

Eu recomendo conteúdo que agregue valor ao invés de conteúdo do tipo “eu aposto que você não vai compartilhar isso” e “compartilhe se você encontrar”. Eu mesmo as ignoro.

3. Conscientização do público

Lembre-se de que nem todos em uma plataforma social desejam comprar um produto e nem todos desejam ser vendidos. O Influencer Marketing Hub informou que 18% da Geração Z deixa uma plataforma social se for muito comercializada.

4. Crie coleções

Crie coleções de produtos semelhantes em torno de eventos sazonais, tendências que você notou de seus seguidores etc.

5. Métricas

As empresas usam medições padrão de mídia social para analisar métricas como o Retorno do Investimento (RIO), Alcance e Reputação.

As empresas também podem analisar curtidas, retuítes e compartilhamentos para medir a interação do consumidor. Use isso para melhorar seu conteúdo de vendas.

Pensamentos finais

O Social Commerce é a progressão natural da compra online. À medida que mais pessoas passam tempo nas redes sociais e procuram conselhos de compra de amigos, mais empresas vão aproveitar o que essas redes podem oferecer.

Isso não significa que toda loja online deva vender por meio de uma plataforma social. Montar uma plataforma de vendas em qualquer rede é um investimento.

É algo a considerar, no entanto. É fácil ver o quão popular já é e está projetado para explodir em um futuro próximo.