Universo digital faz com que setor financeiro se adapte ao novo perfil de consumidor

consultoria seo

Como a tecnologia e os serviços digitais continuam a se envolver em mais aspectos de nossas vidas, o setor financeiro não está imune. A nova tecnologia deu lugar a novos serviços e, com novos serviços, vem a ruptura dos antigos.

E não são só as estratégias de Marketing no Instagram, Google (Consultoria em SEO ) e outras mídias que tem evoluído e se adaptado ao novo perfil de consumidor.

Quer se trate de serviços como PayPal ou ApplePay; ou bancos digitais, a transformação digital do setor financeiro está em andamento. Os clientes estão gravitando mais em direção a experiências e produtos digitais. Ao mesmo tempo, os fornecedores do setor estão repensando o manual.

As lojas de tijolo e argamassa ainda são viáveis ​​ou mesmo necessárias? Qual é o poder do cliente financeiro moderno? Quais serviços e produtos atendem a um desejo crescente de bancar ou mesmo investir em um cenário digital?

À medida que a revolução digital continua impactando o setor, essas perguntas precisam ser respondidas.

Neste artigo, exploramos várias das principais mudanças que estão afetando o setor financeiro, bem como os desafios que os acompanham.

1) Fintech

Fintech é um termo amplo e abrangente que se refere principalmente a bancos e instituições financeiras que procuram fazer pleno uso dos recursos disponíveis de hardware e software; bem como se referir aos próprios sistemas.

No sentido mais verdadeiro da palavra, o advento dos cartões de crédito na década de 1950 ou a ascensão dos caixas eletrônicos na década de 1960 era, para a época deles, uma versão da Fintech. Hoje, o termo seria usado de maneira mais apropriada para tecnologias de banco digital, como bancos digitais, carteiras, tecnologia blockchain e muito mais.

Ferramentas de orçamento on-line, rastreamento de gastos e até chatbots automatizados para atendimento ao cliente são formas pelas quais a Fintech está alterando o cenário dos serviços financeiros.

Em cada nível, os pontos problemáticos estão sendo abordados (ou seja, orçamento, atendimento ao cliente) de maneiras rápidas e eficientes, frequentemente usando tecnologia automatizada e algoritmos de aprendizado de máquina. No passado, uma cobrança suspeita em sua conta pode ter provocado uma ligação telefônica de um representante. Agora, as chamadas automáticas (uma tática controversa) podem ser feitas automaticamente à medida que a transação está sendo conduzida (e, em muitos casos, recusada).

Essas tecnologias estão movendo o setor de serviços financeiros para novas direções rapidamente. Bancos, credores, empresas de cartão de crédito e planejadores financeiros estão correndo para recuperar o atraso. Uma coisa é certa. A Fintech está aqui para ficar, está crescendo rapidamente, se ramificando em várias direções e não está desacelerando.

2) Banco Digital

Não faz muito tempo, os bancos ofereceram incentivos para abrir uma conta. Ofertas de prêmios e programas de fidelidade deram lugar a promessas de taxas baixas, sem taxas, verificação gratuita, devolução de dinheiro e muito mais. Todos se baseavam na noção de levar o cliente pela porta onde a “venda” poderia ser feita.

No cenário digital de hoje, alguns recursos não são apenas oferecidos, mas também são esperados. Seria difícil conceber uma empresa bancária ou de cartão de crédito sem um aplicativo móvel associado para os clientes usarem para rastrear despesas, pagar contas e muito mais.

O banco digital é, para citar outro termo econômico emprestado de diferentes circunstâncias, “o novo normal”. Além de simplesmente acessar sua conta on-line, os bancos digitais estão aumentando tanto em legitimidade quanto em disponibilidade.

Os bancos digitais existem exclusivamente on-line, sem (ou poucos) locais de tijolo e argamassa. Lá nos Estados Unidos onde essa modalidade teve início, dois dos maiores são o Ally Bank e o Simple Bank. Acredite ou não, ambos existem há quase uma década.

Sem dúvida, os concorrentes estarão prestando muita atenção no despenho dessas empresas. De fato, pode haver uma revolução no banco digital no horizonte. Mesmo que algumas não tenham êxito, certamente não será o último empreendimento de uma grande instituição financeira para o setor bancário digital.

Combinado com o aumento do foco no mobile banking, até os bancos tradicionais estão repensando o paradigma padrão de tijolo e argamassa. Em um mundo onde tudo, de depósitos a pedidos de empréstimos, pode ser realizado por meio de um telefone celular, é necessário ter uma agência física?

3) Disruptores Digitais

Não faltam disruptores digitais na Fintech. Tecnologias de pagamento como o PayPal surpreenderam o setor. Outros, como ApplePay e Venmo, seguiram o exemplo e estão cada vez mais transferindo mais transações para um ambiente digital.

Stripe é um processador de pagamento que permite que sites processem transações on-line; reduzindo a barreira de entrada para pequenas lojas de comércio eletrônico e startups.

Ignorando a necessidade de processadores caros, procedimentos de empréstimo demorados ou trabalho extensivo; Os disruptores da Fintech são de todas as formas e tamanhos.

Poderá se interessar também por: Agência de SEO para empresas.

4) IA e aprendizado de máquina

Pode haver pouca dúvida de que o mundo da IA ​​e do aprendizado de máquina deixará uma marca indelével no setor financeiro. De fato, ele já tem. Bancos e empresas de cartão de crédito estão usando algoritmos complexos para detectar atividades fraudulentas.

Essas tecnologias estão sendo pioneiras em várias startups da Fintech, empregadas por grandes empresas, beneficiando o atendimento ao cliente e a experiência. Como mencionado anteriormente, atividades suspeitas podem, ao mesmo tempo, provocar uma ligação telefônica de seu banco ou companhia de seguros. Agora, a Microsoft introduziu um programa de IA que pode detectar atividades fraudulentas (e tomar medidas) em menos de dois segundos.

Tecnologias semelhantes também protegem serviços bancários móveis, credenciais de login e muito mais. O cibercrime pode ter sido responsável por mais de R$ 600 bilhões em perdas em até os dias atuais. À medida que as tecnologias se tornam mais sofisticadas, o mesmo acontece com os métodos para contorná-las.

Enquanto os consumidores tendem a pensar em “Fintech” como tecnologias e empresas que facilitam sua vida financeira; também existem aqueles que procuram tornar nossa vida financeira mais segura. Mais de 200 startups de segurança cibernética receberam financiamento corporativo no ano passado. Este ano esse número deve ser ainda maior.

A detecção de fraudes não é o único uso para IA e aprendizado de máquina. Algoritmos complexos criados a partir de enormes quantidades de dados fornecem informações sobre o comportamento do consumidor, informações sobre investimentos em tempo real, conformidade regulatória e muito mais.

5) Blockchain

É frequentemente associado ao Bitcoin e outras criptomoedas; no entanto, a tecnologia Blockchain oferece enormes possibilidades para outras áreas. O sistema contábil da blockchain utiliza controles rígidos que permitem dados auditáveis. controles médios que permitem contratos inteligentes e dados auditáveis.

De acordo com o CEO da IBM, Ginni Rometty: “Hoje, o blockchain – a tecnologia por trás do bitcoin de moeda digital – pode parecer uma bugiganga para os geeks de computadores. Mas uma vez amplamente adotado, transformará o mundo.”

O sistema de contabilidade da Blockchain cria confiança com os usuários, aumenta a transparência e minimiza os erros humanos e os riscos. Não é de admirar que as bolsas de valores, empresas de IA, bancos e muito mais estejam explorando usos para a tecnologia.

Blockchain e tecnologias associadas têm o poder de ser uma das inovações mais impactantes em serviços financeiros, bem como em tecnologias de logística no futuro.

6) Uma força de trabalho em evolução

Novas tecnologias significam novas especialidades. Como tal, a força de trabalho das instituições financeiras está evoluindo. De acordo com um estudo do LinkedIn, os principais empregos financeiros contratados no Reino Unido são:

  • Analista de Banco de Investimento
  • Engenheiro de software

Isso se reflete também em outros países, como também o Brasil.

Ao mesmo tempo, os trabalhos mais tradicionais exigem habilidades diferentes para atender clientes como vendedores, representantes de atendimento ao cliente, RH e gerentes de projeto. Os avanços tecnológicos, incluindo os sistemas de IA, estão criando um ambiente em que essas posições correm o risco de ficar desatualizadas, a menos que novas habilidades sejam desenvolvidas.

À medida que a tecnologia continuar a evoluir o setor, haverá uma crescente necessidade de uma força de trabalho viável para atender às crescentes demandas e desafios que se desenvolvem. Ao mesmo tempo, a transição para serviços e tecnologias digitais exigirá que as pessoas certas estejam no local para garantir que esses desenvolvimentos sejam bem-sucedidos.

Mais mudanças estão chegando

Pode haver pouca dúvida de que a tecnologia mudou a maneira como pensamos no mundo ao nosso redor. O setor financeiro talvez tenha sido uma das áreas mais impactadas pela revolução digital.

De banco digital a sistemas complexos que monitoram e analisam nossa saúde financeira e bem-estar; quase todos os aspectos financeiros foram impactados. À medida que a tecnologia que guia a indústria continua evoluindo, uma coisa pode estar certa. Mais mudanças estão no horizonte.