Passo a passo de como montar uma loja virtual sem gastar muito

loja virtual

A loja virtual é uma plataforma onde o empreendedor pode vender produtos e serviços dos mais variados tipos, além de ser um modelo de negócios que tem chamado a atenção de muitas pessoas.

Todo o processo de compra e venda acontece na internet, desde a escolha até as opções de pagamento. Atualmente, esse tipo de site é considerado como um dos principais canais de vendas e traz informações relevantes para o consumidor.

Trata-se de uma plataforma que traz muitos diferenciais, como segurança para os consumidores, preço baixo, conforto e o fato de as compras serem realizadas a qualquer momento do dia ou da noite.

Pessoas de qualquer lugar do mundo podem comprar em uma loja virtual, pois basta entrar na plataforma, acessar as categorias, escolher os produtos e serviços, realizar o pagamento e recebê-los em casa.

Mas para que o empreendimento seja um sucesso, é fundamental saber trabalhar com ele, principalmente tendo em vista o grande crescimento do e-commerce, o que está aumentando a concorrência.

Se você também deseja investir nesse negócio, leia este artigo. Vamos explicar o conceito de loja virtual e um passo a passo de como criá-la.

Definindo loja virtual

A loja virtual nada mais é do que uma plataforma usada para comprar e vender produtos e serviços. Embora a sua definição seja muito simples, existem muitas características desse tipo de negócio que precisam ser compreendidas.

Dentro do contexto técnico, a loja virtual é um software usado exclusivamente em navegadores e pode apresentar diferentes linguagens de programação.

No entanto, essas plataformas evoluíram e hoje podem ser acessadas por diferentes tipos de dispositivos, incluindo os celulares.

Uma empresa de sipat que vende seus serviços na web faz todas as negociações por meio dos recursos digitais e oferece informações que ajudam o usuário a finalizar a compra, tais como:

  • Imagens dos produtos;
  • Descrições;
  • Formas de pagamento;
  • Prazo e taxa de entrega.

Esse conjunto de dados gera impactos na experiência do consumidor e é decisivo quando o cliente pensa em comprar novamente.

Montando uma loja virtual

Para montar uma loja virtual, o empreendedor pode investir em diferentes estratégias que vão aperfeiçoar o processo de compras e influenciar na decisão do usuário.

São técnicas que exigem planejamento para gerar resultados expressivos, e dentre as mais importantes estão o investimento em anúncios e o planejamento de marketing. Outros passos importantes para montar uma loja virtual são:

1 – Escolher um nome para o negócio

Escolha um nome para a loja que seja condizente com o tipo de produto ou serviço que deseja vender. Com base no nome escolhido, assim como no caso de uma clínica de atendimento psicologia, crie um bom logotipo.

O logotipo da marca utiliza-se de cores e fontes também compatíveis com o tipo de produto e serviço que ela vende.

Na hora de escolher o nome, não se esqueça de considerar as características do seu público, pois isso vai garantir que ele seja atrativo e fácil de memorizar.

Alguns empreendedores cometem o erro de escolher um nome de difícil compreensão, como no caso de palavras em inglês. Se o seu público for formado por pessoas mais simples, evite esses termos.

2 – Selecionar uma boa plataforma

Um ponto crucial para criar uma loja online é escolher uma boa plataforma, e existem muitas opções disponíveis hoje. O papel do empreendedor é fazer a escolha com base no custo-benefício, funcionalidades e suporte oferecidos.

Algumas plataformas utilizam um sistema de código aberto, o que facilita na hora de customizar as páginas para quem não entende muito sobre o assunto.

3 – Incluir imagens dos produtos

Na hora de incluir as imagens dos produtos, verifique a qualidade delas e não se esqueça de inserir uma boa descrição. As fotos precisam ser de alta resolução e mostrar os atributos dos itens.

Na hora de descrever a mercadoria, como no caso de uma máquina desnatadeira, utilize as estratégias de SEO (Search Engine Optimization), um conjunto de ações que otimizam as páginas para que elas apareçam entre os primeiros resultados de pesquisa.

Uma das estratégias de SEO é o uso de palavras-chave corretas, termos que os usuários utilizam para fazer as pesquisas. A descrição também precisa ser direta, informativa e criativa.

4 – Divulgar a loja

É fundamental divulgar a loja para que ela chegue ao conhecimento dos consumidores, e uma das formas de fazer isso, além das estratégias de marketing, é estabelecer indicadores de performance.

Eles medem a eficiência do canal e das estratégias utilizadas para divulgá-lo. O gestor poderá avaliar as práticas e direcionar melhor o orçamento investido nessas ações.

Ele pode destacar produtos com rótulo redondo que sejam mais procurados e promover mercadorias com pouca saída.

4 – Regularizar a plataforma

A loja virtual também precisa ser regularizada, e o primeiro passo para fazer isso é abrir um CNPJ. Quem está começando o empreendimento agora, deve optar pela categoria de microempreendedor individual.

Ele garante os direitos trabalhistas, permite a emissão de notas fiscais, profissionalizar o negócio e é muito simples, fácil e barato.

O empreendedor pode abrir o MEI totalmente online e as taxas para essa modalidade são muito baixas, o que não pesa no orçamento.

5 – Escolher os meios de pagamento

Os meios de pagamento estão relacionados com a infraestrutura da loja e é fundamental saber escolhê-los, pois são estratégicos na hora de atrair os clientes e influenciam na decisão de compra.

As lojas virtuais têm como vantagem a facilidade de oferecer diferentes modalidades de pagamento, como boleto bancário, depósito, transferência, cartão de crédito e até pix.

6 – Definir o modelo de entregas

A entrega é fundamental para a reputação das lojas virtuais, além de ser o melhor caminho para ter um bom relacionamento com o cliente.

Nesse contexto, procure bons fornecedores, analisando a reputação das opções e o prazo de entrega oferecido por eles. Se você vai vender peças de rolamento dianteiro moto, por exemplo, não se esqueça de comparar preços.

Procure se relacionar com dois fornecedores de cada tipo de suprimento para não depender exclusivamente de uma empresa, pois isso pode prejudicar o compromisso da loja com seus clientes.

Negocie a possibilidade de fazer pagamentos a prazo, uma vez que isso ajuda a manter o capital de giro e traz mais segurança para imprevistos.

Quanto à logística, o valor do frete vai impactar na conversão de vendas e os prazos influenciam muito o nível de satisfação do consumidor. Nesse sentido, busque alternativas eficientes e rápidas para reduzir os custos.

Ter uma logística própria é inviável para empreendedores de pequeno porte, além de ser um processo complexo de gestão.

Uma opção é investir na logística terceirizada, que nada mais é do que a contratação de uma empresa que vai se responsabilizar por todo o processo de entrega.

Mas um fabricante de catraca expedidora também pode entregar seus produtos pelos correios. Independentemente de qual seja o modelo escolhido pela loja virtual, ele deve ser compatível com suas necessidades e possibilidades.

7 – Investir em anúncios

Investir em anúncios é muito importante para quem está começando agora, principalmente por meio do Google Ads e do Facebook Ads.

Os anúncios funcionam de maneira segmentada, com base na palavra-chave escolhida e em estruturas compatíveis com as necessidades e características do público.

Toda vez que uma pessoa pesquisar sobre algum produto ou serviço, pode encontrar a sua loja entre os primeiros resultados de pesquisa. Consequentemente, uma loja de materiais para reforma de apartamento pequeno receberá mais visitas.

Quanto mais visitas o site recebe, mais oportunidades de vendas a empresa consegue, portanto, investir em anúncios pagos faz toda a diferença.

8 – Criar a política de privacidade

A política de privacidade deve ser prioridade de qualquer loja virtual, afinal, essas plataformas coletam informações importantes sobre os clientes, como dados pessoais e do cartão de crédito.

Ter uma boa política de privacidade traz muita credibilidade e transparência para o relacionamento entre empresa e consumidor.

Mais do que isso, é uma forma de respeitar as imposições da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que exigem das empresas o cuidado na hora de coletar, tratar e armazenar informações de terceiros.

9 – Mapear o público-alvo

Por fim, é fundamental mapear o público-alvo da sua loja, pois cada organização, como uma empresa construção civil, possui um tipo de público interessado em seus produtos e serviços.

Conhecer sua audiência é fundamental para se relacionar com essas pessoas, entender de que maneira elas se comportam e quais são as melhores estratégias de marketing para atraí-las.

Considerações finais

Como vimos, não basta apenas criar uma loja virtual, anunciar alguns produtos e esperar os lucros. Existem muitas tarefas que os empreendedores precisam cumprir para o sucesso do empreendimento digital.

Seguindo o nosso passo a passo, sua loja online vai se destacar, atrair clientes e crescer dentro de um mercado muito promissor.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Marcações: